Os artigos deste blogue expressam o pensamento de seus autores, e não refletem necessariamente o pensamento unânime absoluto da comunidade paroquial. Tal unanimidade seria resultado de um dogmatismo restrito e isso contraria o ethos episcopal anglicano. O objetivo deste blogue é fornecer subsídios para a reflexão e não doutrinação. Se você deseja enviar um artigo para publicação, entre em contato conosco e envie seu texto, para análise e decisão sobre a publicação. Artigos recebidos não serão necessariamente publicados.

Pesquisar este blog

06 novembro 2012

No fundo do poço brilha uma luz!

clamor 2Com certeza você já se sentiu chegando ao fundo do poço! aquela situação existencial em que parece não haver saída, um problema que parece não ter solução, a angústia e o medo em relação ao futuro ou a uma situação específica do presente. Assim estava o Salmista quando compôs esse Salmo:
Salmo 57: Miserere mei, Deus
Tem misericórdia de mim, ó Deus! Tem misericórdia de mim, pois em ti minha alma se refugia; à sombra de tuas asas me abrigo, até que passem as calamidades.
2 Clamarei ao Deus Altíssimo, ao Todo-poderoso que tudo faz por mim.
3 Dos céus enviará auxílio e me salvará. Deus enviará a sua misericórdia e a sua verdade.
4 Minha alma está entre leões e tenho que deitar-me entre os que querem me devorar, filhos dos homens, cujos dentes são lanças e flechas e cuja língua é espada afiada.
5 Sê exaltado, ó Deus, sobre os céus; acima de toda a terra seja a tua glória!
6 Armaram uma rede aos meus passos e minha alma ficou abatida; cavaram diante de mim uma cova; mas eles mesmos caíram nela.
7 Preparado está o meu coração, ó Deus; preparado está o meu coração: cantarei e direi salmos.
8 Desperta, glória minha! Desperta lira e harpa; e eu mesmo chamarei a aurora.
9 Louvar-te-ei, SENHOR, entre os povos; eu te cantarei entre as nações.
10 Pois grande como os céus é a tua misericórdia; e a tua verdade se ergue até o firmamento.
11 Sê exaltado, ó Deus, sobre os céus; acima de toda a terra seja a tua glória!
 (versão do Livro de Oração Comum da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, 1988)

Ele estava no fundo do poço! Sentia-se perseguido, como que diante de leões ferozes; o perigo e a ameaça estava ali ao seu lado, entre aqueles com quem convivia (v. 4).
Mas o Salmista é uma pessoa de fé, alguém que conhece Deus e com Ele se relaciona. Assim, ele lança seu clamor a Deus, e em Deus se refugia! Coloca diante do Senhor a sua angústia, o seu medo e não se desespera. Acima de tudo ele confia em Deus! E sabe que está sob a proteção do Senhor (v. 1)
Não fica lamentando diante de Deus, não demonstra auto piedade. Ao pedir que Deus tenha misericórdia (compadecer-se, aceitar o sofrimento junto, ato de solidariedade) o Salmista sabe que Deus está consigo, que Deus o acolhe, o consola e o fortalece. E, por isso, o Salmista apresenta ao Senhor sua angústia e em seguida entoa louvores a Deus porque sabe que Deus está se movendo em seu favor! Ao mesmo tempo que apresenta a Deus seus temores, o Salmista já antecipa sua vitória (v. 6). No fundo do poço brilha a luz da esperança, animada pela fé e pela vivência com Deus!
Assim deve ser a nossa oração diante das nossas dificuldades e problemas que parecem insolúveis. Não se trata de uma “petição lacrimosa desesperada”, mas uma partilha com Deus e a certeza que o Senhor está ao nosso lado, não quer o mal sobre nós, e nos acolhe como Pai amoroso, como Amigo maior, como Irmão mais velho, nos protege e nos ajuda a vencer as dificuldades.
Hoje em dia há muitos pregadores que ensinam a “exigir a bênção”, como se Deus tivesse o dever de nos atender, de nos dar um carro novo, uma casa própria, prosperidade… como se houvesse a possibilidade de barganhar com Deus em troca de “dízimos e ofertas”.
Isso é blasfêmia! É preciso muita comunhão com Deus para chegar-se a Ele como filho ou filha, e muita disposição de coração em acolher Sua vontade em nos abençoar com o que de fato precisamos e não para atender a nossa vaidade consumista.
Deus ama as pessoas em sua integridade, oferece gratuitamente Seu Amor, mas o que Ele deseja é que nós O aceitemos, estabeleçamos uma relação íntima com Ele.
Lê o Salmo novamente e reflita! Talvez seja a hora de te colocares diante de Deus e pedir Sua misericórdia! Deus não pode agir se o teu coração está fechado à Ele. Deus não invade a tua vida! Ele respeita as tuas opções e as tuas escolhas.
 Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo.                                     (Apocalipse 3.20 – Nova Versão Internacional)
Abre a porta do teu coração, pois o Senhor está esperando! Não espere chegar ao fundo do poço para ver a Luz!
Rev. Luiz Caetano, ost+
===/===

Um comentário:

Simoninha disse...

O Salmo 57, descreve a comunhão e intimidade que o salmista tinha com Deus, ele clama e adora, confia e descansa, na certeza de que Deus não apenas ouve, mas agirá a seu favor. Que possamos seguir o exemplo de Davi, o homem segundo o coração de Deus (I Samuel 13:14).

Postar um comentário

Muito obrigado pelo seu comentário.
Seja breve e objetivo.