Os artigos deste blogue expressam o pensamento de seus autores, e não refletem necessariamente o pensamento unânime absoluto da comunidade paroquial. Tal unanimidade seria resultado de um dogmatismo restrito e isso contraria o ethos episcopal anglicano. O objetivo deste blogue é fornecer subsídios para a reflexão e não doutrinação. Se você deseja enviar um artigo para publicação, entre em contato conosco e envie seu texto, para análise e decisão sobre a publicação. Artigos recebidos não serão necessariamente publicados.

Pesquisar este blog

05 abril 2011

Comunhão para crianças

A participação das crianças na Santa Comunhão, recebendo o Sacramento com a comunidade, é uma característica da nossa Igreja, recuperando uma antiga tradição quem vem desde a Igreja Primitiva. 
A Igreja Episcopal considera a Santa Mesa como uma dádiva de Cristo a toda a Igreja, e afirma isso oferecendo a Santa Mesa para todas as pessoas batizadas em qualquer denominação cristã –batismo ministrado em nome da SS. Trindade – sejam adultos ou crianças.
Afinal, o Batismo é o Sacramento da Iniciação na comunidade cristã. Por meio da água e em nome da Santíssima Trindade, uma pessoa – seja adulta ou criança – é recebida na Igreja, torna-se parte da Comunidade de Jesus Cristo, o Seu Corpo Místico. Na nossa compreensão, o Batismo é recebido uma única vez na vida, isto é, a Igreja Episcopal Anglicana reconhece todo o batismo realizado com água e em nome da Trindade, não importando a Igreja (denominação) onde o Sacramento foi realizado. Por isso, a Mesa da Comunhão, em nossa Igreja, é aberta a qualquer pessoa cristã, não importa sua idade.
Em tempos passados, mais especificamente a partir do século XI, na Igreja da Inglaterra, a Santa Comunhão passou a ser dada apenas aos membros confirmados da Igreja, ou seja, os que confirmaram sua fé através do Rito da Confirmação (Crisma). Essa decisão foi de cunho político e eclesiástico, não especificamente teológico. Por isso, há algumas décadas, a maioria das Igrejas da Comunhão Anglicana voltaram a acolher as crianças na Santa Mesa.
A Ceia do Senhor, como também chamamos a Santa Eucaristia, é o grande testemunho da inclusividade  na Comunidade Cristã.  Todas as pessoas batizadas são parte do Corpo Místico de Cristo e, assim, a participação das crianças na Ceia é um ato de fidelidade ao significado mais profundo da Igreja de Jesus Cristo.
Embora o Batismo ocorra apenas uma vez na vida, a Eucaristia é uma experiência que se repete a cada semana, ou a cada dia conforme a prática de cada comunidade; ambos se completam, cada um indicando nossa vida comum no Espírito, a nossa união com Cristo em sua morte e ressurreição, e o nosso mútuo compromisso nos laços de amor da Comunidade cristã.
Assim, de acordo com o ensino da Igreja desde os tempos apostólicos, basta o Batismo para incluir qualquer pessoa na refeição Eucarística.  Entretanto, é bom que crianças e adultos sejam acompanhados de catequese sobre o significado da Eucaristia; e isso é ministrado na Igreja em sua ação educativa da fé. Mas as crianças participam do Santo Sacramento como crianças e de acordo com o entendimento próprio de sua idade. O acompanhamento das crianças, em seu processo de aprendizado da fé, pelos pais, catequistas e clero possibilita o crescimento delas no conhecimento e na graça de nosso Senhor e Salvador (cf. II Pe. 3.18).
Muitas pessoas se perguntam se a criança entende o que acontece na Eucaristia.  Mas a questão é: alguém de fato compreende o Mistério? Mistério não se compreende, mas se percebe através da revelação do Espírito Santo, através do dom da Fé. O Sacramento Eucarístico pode ser percebido, por uma criança, como aceitação de si mesma por Cristo.
Lembremos que Jesus, conforme nos dizem os Evangelhos, reunia em torno de si os que eram considerados incapazes, os rejeitados, os pobres e marginalizados, órfãos, viúvas, pobres… inclusive as crianças. Por isso a Igreja, em fidelidade ao testemunho dos Apóstolos não pode excluir as crianças da Mesa do Senhor, pois o próprio Jesus admoestou seus discípulos dizendo “ Deixai vir a mim os pequeninos, por que deles é o Reino de Deus!”, apresentando as crianças como paradigma do Reino (cf. Lucas 18.15-17).
Fiéis à tal compreensão do Santo Sacramento, em nossa Paróquia as crianças cristãs são bem vindas à Santa Mesa, que é do Senhor e não exclusivamente nossa.
Vosso Pároco,
Rev. Luiz Caetano, ost+
Texto adaptado a partir de um folheto publicado pelo antigo Departamento de Educação Cristã da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil
===/===

Um comentário:

Paróquia disse...

Prezado Reverendon Caetano! E verdadeira pratica esta igual com pratica da nossa Igreja Ortodoxa Russa.

Postar um comentário

Muito obrigado pelo seu comentário.
Seja breve e objetivo.